quarta-feira, outubro 20, 2021

Bolo de cenoura com brigadeiro e história da infância

Não é segredo pra ninguém porque, afinal, eu sou uma blogayra famosa que o meu bolo preferido é o de cenoura, superando o amor de infância pela clássica e nostálgica nega maluca. Quase todos os dias eu levava de lanche aquela delícia chocolatuda coberta de granulados, que ocasionalmente era trocada por uma latinha de refrigerante ou por um pacote de salgadinho bem fedorento de algum coleguinha super saudável e consciente. Nunca vou esquecer do fatídico dia em que eu, na ânsia de chegar logo no pátio e de comer ao mesmo tempo, saí correndo com o potinho aberto na mão e – ploft – tropecei, lançando o bolo rumo ao solo em um belíssimo duplo twist carpado gastronômico. Não me dando por vencida, mesmo que a cobertura tenha, tragicamente, aterrissado direto no chão, puxei a parte de bolo que ficou intocada e enfiei na boca, satisfeita com a minha decisão anti desperdício.

Tendo em mente o quanto essa história deve soar desinteressante pros não envolvidos, vou passar logo a receita do bolo de cenoura, que ganhou um lugar definitivo no meu coração depois que o meu paladar virou de gente grande (falou a pessoa que come leite condensado direto da lata).

Bolo de cenoura com brigadeiro e história da infância

Bolo de Cenoura com Cobertura de Brigadeiro

(baseado na receita da musa Rita Lobo)

3 cenouras
4 ovos
3/4 de xícara de óleo
1 e 1/2 xícara de açúcar
2 xícaras de farinha
1 colher (sopa) de fermento
1 pitada de sal

Descasque e corte as cenouras em rodelas pequenas, pra não matar o liquidificador do coração. Coloque os ovos e o açúcar no liqui e ligue, derramando o óleo aos poucos. Acrescente as rodelas de cenoura e deixe bater por cerca de cinco minutos, ou até que fique uma mistura completamente lisa. Passe a massa para uma tigela grande e peneire por cima a farinha, o sal e o fermento, misturando tudo delicadamente com um fouet (batedor de arames) até que homogenize. Transfira para uma forma já untada e enfarinhada e leve ao forno pré aquecido a 180ºC por 1 hora. Depois de assado, o palito não sai 100% seco, pois é um bolo que carrega certa umidade e deliciosidade, então não deixem o coitado esturricar. O ponto é quando o coração e a barriga mandarem (no meu caso, claro, eu quase comi a massa crua mesmo). Para fazer o brigadeiro de chocolate, é só clicar aqui, porque eu já passei essa receita e estou querendo evitar a fadiga (popularmente conhecida como preguiça).

Você pode gostar também...

Não tá tudo bem
Um ano de quarentena
Bárbara Pustai
Eu como comida fria e tiro umas fotos por aí! Vem comigo?

4 COMENTÁRIOS

  1. Barbara, Barbarinha, Barbarela, nem te conheço mas já te considero pacas, arruinando minha dieta com essas fotos tão maravilindas e perfeitudas de gordices apaixonantes <3
    Já tô até sentindo o cheirinho de bolo de cenoura invadindo minha cozinha, aiai
    Licença que vou lá na cozinha catar os ingredientes…
    Beijinhos e já tô seguindo.

    • Sua querida, nem te conheço e já considero pacas também hahaha <3 Obrigada pelo comentário tão fofo! Me conta depois o que achou do bolo? Beijo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui