sábado, maio 15, 2021

Logo que acordo

O sol derrama no meu quarto pelas manhãs. Logo que acordo, arrumo a cama, me espreguiço longamente e abro a janela. Escancaro, na verdade. Nessa hora, a luz ainda entra tímida, esboçando uma que outra sombra, como quem pede licença. Enquanto os raios não ultrapassam os edifícios que atrasam nosso encontro, passo meu café com calma, pra voltar pra cama hipnotizada pelo laranja quentinho e confortável do alvorecer. Enquanto vivo de lembrar, meu calor vem todo do sol. Mas que saudade de queimar.

Logo que acordo

Você pode gostar também...

Não tá tudo bem
Um ano de quarentena
Artigo anteriorEu e minha casa
Próximo artigoA chuva cai fininha do céu
Bárbara Pustai
Bárbara Pustai
Eu como comida fria e tiro umas fotos por aí! Vem comigo?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui