sábado, maio 15, 2021

Às vezes eu tenho medo de esquecer

Às vezes tenho medo de esquecer que a quarentena não é pausa. Que o tempo segue implacável, atravessando, transgredindo os dias com a violência do que passa batido. Com a brutalidade de estar vivo e não viver. O tempo, vivido assim, é tirano. Porque vida sem todos os abraços é meia-vida, somente.
.
E daí entram os pequenos afagos: um café da manhã especial, um chamego. Uma surpresa, uma playlist só com as músicas preferidas. Frutinhas pra cuidar da saúde, mensagens pra atenuar a saudade. Prestar atenção também é um presente. A vida, afinal, é tudo o que a gente tem. Enclausurada, não pausada. Viva.

Às vezes eu tenho medo de esquecer

Você pode gostar também...

Não tá tudo bem
Um ano de quarentena
Bárbara Pustai
Bárbara Pustai
Eu como comida fria e tiro umas fotos por aí! Vem comigo?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui