quarta-feira, outubro 20, 2021

Marshmallow caseiro: uma nuvem açucarada

Marshmallow

Vou ser sincera: não sei dizer qual mente genial criou o marshmallow, mas certamente posso falar sobre as origens dele (a Wikipédia tá aí pra isso, né?). Esse doce fofo e delicioso começou a ser produzido comercialmente ainda no século XIX, e ganhou o nome em função da erva Althaea officinalis, conhecida como planta de marshmallow (eu, se tivesse espaço, cultivaria uma enorme plantação, e percorreria alegremente o campo, com uma cesta de vime em… Tá, chega). Ela é originária da Europa, mas passou a ser cultivada também nos Estados Unidos, país que tornou o doce mundialmente famoso. Com o tempo, a erva foi substituída por gelatina, o que permitiu que o marshmallow fosse feito em casa – e é aí que a felicidade começa.

Comprar ou fazer, eis a questão

Claro que é mais fácil comprar – afinal, difícil é não se render às lindas cores e formatos e sabores e aromas que as prateleiras do mercado oferecem. Mas, além de ser mais barato fazer em casa, é muito mais saudável (tá, isso eu inventei, porque claramente marshmallow não tem como ser saudável) e incrivelmente mais delicioso (isso é verdade verdadeira, pinky promise). Aqui em casa faz o maior sucesso, ainda mais depois que eu tive a brilhante ideia de usar o maçarico para dar aquela tostadinha maneira no marsh (não sem antes tentar fazer isso no fogão e falhar miseravelmente). Viu, marshmallow tostado não é privilégio dos escoteiros americanos: ele também merece ser apreciado por gente como a gente.

Enfim, espero que vocês façam em casa: é satisfação garantida ou o seu dinheiro de volta.

Marshmallow (receita híbrida dos blogs I could kill for dessert e Joy of Baking)

Óleo ou margarina para untar
2 pacotinhos de gelatina sem sabor
2 xícaras de açúcar refinado
1 xícara de glucose de milho
1/2 xícara de água
2 colheres de chá de essência de baunilha
1 pitada de sal
q.b. de açúcar de confeiteiro (para untar e para envolver)

Para começar, prepare uma forma com papel manteiga. Unte-a com óleo ou margarina e peneire açúcar de confeiteiro, cobrindo o fundo e as laterais. Em uma panela média, coloque o açúcar refinado, a glucose de milho e a água. Deixe ferver até chegar a 115ºC (se você não tiver um termômetro, calcule cerca de 6 minutos após o início da fervura).

Hidrate a gelatina conforme as instruções da embalagem. Quando a calda chegar na temperatura indicada, retire-a do fogo. Ligue a batedeira em velocidade baixa e acrescente a gelatina já preparada. Aos poucos, despeje a mistura de açúcar. Depois de adicionar toda a calda, aumente a velocidade da batedeira para média-alta, e deixe bater por cinco minutos. A princípio, bate o desespero, parece que deu tudo errado e que é impossível aquela meleca crescer. Calma. Respira. A magia começa depois que passam os primeiros minutos, quando aquela mistura mirrada e líquida vai se transformando numa nuvem branquinha (ou, no caso de hoje, rosinha). Sim, eu sei que estou viajando aqui, mas é que marshmallow é pura poesia pra mim haha. Depois dos 5 minutos, acrescente a essência (eu usei de baunilha, mas pode usar a imaginação) e o sal, e aumente para a velocidade máxima por mais um minuto.

Marshmallow

Estamos chegando no marshmallow perfeito, aguenta firme!

Despeje a mistura na forma e arrume com uma espátula. É bem melequento, mas com jeitinho dá pra deixar ele quase liso.

Marshmallow

Peneire mais açúcar de confeiteiro por cima e deixe descansar por, pelo menos, seis horas.

Marshmallow

Se você é do tipo que gosta de ficar checando o tempo todo se já está pronto (como eu) e não se aguenta de vontade de experimentar (como eu), eu sugiro que faça à noite e deixe a madrugada inteira descansando. No dia seguinte, é só cortar em quadradinhos ou em qualquer formato que preferir e passar no açúcar de confeiteiro (de novo. Eu avisei lá em cima que não era saudável, nem vem).

Enjoy!

Observações:

1. Se você quiser deixar o seu marshmallow colorido, você pode fazer de duas formas: substitua a gelatina incolor e sem sabor por uma gelatina colorida e sem sabor ou coloque corante em gel.

2. Você pode combinar o corante com a essência. Ex: verde/menta; vermelho/morango; amarelo/abacaxi; laranja/ laranja. Tá, mas já deu pra entender.

3. O tamanho da forma depende muito do seu gosto. Se você quiser um marshmallow mais baixinho, use uma forma grande; se preferir um mais rechonchudo, porém, use uma pequena.

Você pode gostar também...

Não tá tudo bem
Um ano de quarentena
Próximo artigoComo fazer pavlova?
Bárbara Pustai
Eu como comida fria e tiro umas fotos por aí! Vem comigo?

29 COMENTÁRIOS

  1. Muito boa essa receita. Claro ainda não fiz só li a receita para os teus primos. Eles adoraram e querem que eu a faça. Estou ansiosa para fazer. Muito sucesso…

    • Talita, é incrível receber um feedback tão legal de uma blogueira como tu :) PS: É imperdível tostar os marshmallows, eles ficam ainda mais deliciosos! Beijos, querida!

  2. Oi Barbara!
    Não tive o prazer de conhece-la pessoalmente, mas por certo você está muito bem representada na dissertação do seu blog e por sua receita de Marshmallow.
    Parabéns! Excelente dissertação, muita espontaneidade com conhecimento e com certeza uma receita deliciosa.
    Ela entrou para a lista das minhas preferidas.
    Cordialmente,
    Carlos

  3. Uma mão na roda mesmo, o fato de fazer com gelatina. Mas quando era com a planta servia para curar tosse e pra isso foi “inventado”. Agora não mais…rs

  4. Bom dia Bárbara.
    A receita parece ótima.. irei tentar hoje mesmo.
    Por acaso você tem uma variação dela pra jogar em cobertura de bolos ou tortas?
    Quero fazer uma receita de Marshmallow Crunch Brownies e to na dúvida se faço essa ou se existe uma receita mais adequada.
    Obrigado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui